8 de dez de 2012

Brasil Profissionalizado, Pronatec, Projovem...

O GOVERNO FEDERAL, através do programa BRASIL PROFISSIONALIZADO, já investiu mais de R$ 1,5 bilhão em convênios pelo Ministério da Educação para fortalecer as redes estaduais de educação profissional e tecnológica. Dessa forma, o Governo Fe
deral está possibilitando a estruturação de Escolas de nível médio profissionalizantes estaduais em todo o Brasil.



Da mesma forma, o PRONATEC, criado em 2011, já beneficiou mais de 2,5 milhões de jovens. A meta da presidenta Dilma é chegar a 8 milhões até 2014. O programa oferece, por meio dos institutos federais e estaduais de educação e do Sistema S, educação profissional e tecnológica a jovens e trabalhadores.

Também, temos a expansão do Ensino Superior no Brasil (decisiva) e, além de outras iniciativas, a permanência de programas como o "Projovem Trabalhador" e o "Projovem Urbano", que fazem parte da Política Nacional de Juventude. Para se ter uma ideia, apenas no município de Fortaleza o Projovem Urbano já formou mais de 25 mil jovens.

Certamente, "País Rico é País Sem Pobreza" - e com juventude capacitada e valorizada estamos no caminho certo.


http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12325&Itemid=663

http://pronatec.mec.gov.br/index.php

http://portal.mte.gov.br/politicas_juventude/projovem-trabalhador-1.htm

http://www.projovem.gov.br/site/

30 de set de 2012

Tanto a Prefeitura como o Governo do Estado atingiram suas metas na Prova do MEC. Porém, é importante destacar a evolução dos resultados obtidos pela Prefeitura, que partiu de um patamar inferior:


Outro parâmetro importante para avaliar a rede municipal de ensino é a possibilidade de comparação com as escolas do Estado que ainda mantêm a Educação no nível fundamental:









A comparação da Rede Municipal de Fortaleza com as demais Capitais do Nordeste também mostra uma evolução. Avaliando de 2005 a 2011, nas duas séries de referência da prova, Fortaleza ultrapassou São Luis, Natal e Maceió no 5º ano e Natal, Aracaju e Recife no 9º ano.
Também, é importante observar que as Metas estabelecidas pelo MEC para Fortaleza foram atingidas e superas em 0,2 no 5º ano e em 0,4 no 9º ano.


12 de jun de 2012

Crônica de uma pseudo aliança

O Partido dos Trabalhadores decidiu, já fazem 6 anos, aliar-se ao grupo político nascido sob comando da tradicional família dos Ferreira Gomes, no intuito de isolar o projeto até então hegemônico no Ceará, liderado pelo PSDB. A tática de aproximação com a “República de Sobral” funcionou e, em apenas 4 anos, o PSDB já amargava forte declínio.
.
Passada esta etapa, esfria a relação entre a nova direção do PSB (agora completamente dominada pelos Ferreira Gomes) e o PT de Fortaleza, cujo diretório municipal tem sido historicamente digirido pelas correntes mais à esquerda do Partido. Na realidade, mais do que frieza das relações, percebe-se que depois de derrotar Tasso, é iniciada a ação daqueles que, de ambos os lados, queriam o fim da recente aliança.
.
No caso do PT a ação manteve-se principalmente interna, com poucas aparições e consequências. No interior das tendências, principalmente em Fortaleza, eram constantes os debates sobre as limitações da aliança e cada vez mais exigida uma postura autônoma do PT para a próxima conjuntura municipal.
.
Do lado do PSB, porém, os ânimos não puderam ser contidos. Os problemas começaram a ser externalizados rapidamente. Ciro Gomes, pouco afeito à existência de posições diferentes da sua, disparou incessantemente contra o PT e o Governo Municipal de Fortaleza. Noutro flanco, na Casa Civil do Governo Estadual, o Secretario Arialdo Pinho, por sua vez, passou a operar no âmbito do secretariado do Governo Cid contra as políticas públicas do Governo Luizianne. O Estado passou a reduzir mais ainda sua ação social em Fortaleza, focando-se nos grandes projetos como Pavilhão de eventos e Acquário.
.
Com efeito, os elementos que caracterizam uma aliança foram sendo paulatinamente perdidos no seio dos quadros do PSB. A defesa pública foi substituída pelo ataque. A postura do Governo do Estado para com a Prefeitura mudou e seus secretários passaram de apoio\suporte ao ataque contra a gestão municipal.
.
A insatisfação no PT aumentou. Qualquer plenária em Fortaleza trazia a reclamação acerca do motivo de ter-se que defender constantemente, de público, em situações constrangedoras, exatamente o grupo dos Ferreira Gomes, de onde eram recebidos os principais ataques.
.
Por fim, após mais de um ano de gradual afastamento, veio o ultimato do PSB: o Governador queria escolher o candidato do PT em Fortaleza. Evidentemente, repetiu-se: a base se mobilizou para indicar um dos seus, de forma autônoma. Sabe-se que a militância do Partido dos Trabalhadores na capital é, sem dúvida, diferenciada. Com organização e capilaridade na maioria dos bairros e categorias de trabalhadores, essa força demonstra vigor principalmente quando se sente desafiada e/ou tolhida. Dirigentes hábeis, a exemplo de Luizianne, caminham nesse fluxo.
.
Por sua vez, Elmano era o nome ideal para o tipo de missão que se avistava. Vindo das plenárias populares do orçamento participativo, foi aclamado nas urnas petistas exatamente porque se encaixava perfeitamente nesse sentimento das bases. Era o filho da conjuntura para o futuro. Com efeito, mais uma vez os substratos políticos em torno do Governador, como os Renegados Ciro e Arialdo, resumiram seu esbravejar em não querer o candidato da base do PT. Ora, claro que jamais aceitariam. Agora, fazem como o rei Xerxes da Persia, desembarcando felizes e gananciosos nas praias gregas, para ingênuos enfrentarem um bloco compacto e impenetrável em uma aventura épica onde representam o atraso.
.
Desta feita, de qualquer ponto de vista, o Governador Cid certamente cometeu um grave erro. Não agora, talvez um ou dois anos atrás, quando permitiu o início das rusgas. Mostrou fraqueza. Cercou-se dos irmãos sem habilidade e de petistas adversos à Luizianne (como Salmito), talvez propositadamente. Selou assim seu destino: enfrentar (a troco de nada) uma força perene, militante e apaixonada.

8 de ago de 2011

Luta de Gerações

Londres - semana de chamas

Choque de Gerações

Guardem seus conselhos. Não precisamos deles!
Esqueçam seu espírito protetor. Ele nos enjoa!
O belo salão que para nós preparam. Que fique vazio!
Seu extinto materno. Guardem. Já não somos mais crianças!

É isso! Sintam a ameaça!
Repitam: Que somos problema, doença, contradição.

Somos o problema que não sabem solucionar;
A doença que não podem curar;
A contradição que não conseguem explicar.

Somos vossos antagonistas!
Desculpem, não foi nossa escolha.

Somos apenas a resistência:
À hipocrisia, ao racionalismo, ao objetivismo, à desistência!!!
Somos o que vocês chamam de:
Delinqüência, radicalismo, boemia...
Do alto de suas nojentas décadas de experiência.

Façam suas moções. Acusem-nos.
De violentos. Enquanto maqueiam sua alma fascista!
De promíscuos. Ao disfarçarem seu falso puritanismo!
De radicais. Ao propagandearem seu banal reformismo!

E agora...Tremam.
A trégua acabou!

Assistam.
Faremos seu mundo em pedaços!

Tudo que organizaram... destruiremos, sem dó!
Tudo que acreditaram... roubaremos o sentido!
E de tudo que jamais imaginaram...
Faremos o novo inconvenientemente emergir!

Construiremos um mundo que os nega.
Que não entendem.
Que os faz passado.

Desculpem-nos, não foi nossa escolha.
É que somos... Juventude

Afonso, dez 2002

30 de jun de 2011

Baixar gratuitamente - Juventude e Ação Sindical


Livro do jovem sociólogo Anderson Campos, assessor da CUT nacional, de sub-título "crítica ao trabalho indecente", muito rico em dados e observações.

O .pdf está disponível no link:


http://letraeimagem.com.br/novo/2011/02/juventude-e-acao-sindical-critica-ao-trabalho-indecente/

28 de jun de 2011

Nova pesquisa

Não gosto muito de postar aqui temas relacionados ao trabalho. Por ser um blog "pessoal" falo mais das questões políticas e menos dos temas técnicos.

O link abaixo, porém, é interessante para todas as pessoas... uma curiosidade.. vale a pena ler e pensar na juventude e no futuro...

16 de jun de 2011

Beijo no tumulto

Linda foto... e não é uma montagem... imagem real de Vancouver, Canadá.

25 de abr de 2011

FREI BETO - DEZ CONSELHOS PARA OS MILITANTES DE ESQUERDA

DEZ CONSELHOS PARA OS MILITANTES DE ESQUERDA
Por Escrito por Frei Beto 27/04/2009 às 12:49
Reflexão a todos os militantes de esquerda.

1. Mantenha viva a indignação.

Verifique periodicamente se você é mesmo de esquerda. Adote o critério de Norberto Bobbio: a direita considera a desigualdade social tão natural quanto a diferença entre o dia e a noite. A esquerda encara-a como uma aberração a ser erradicada.

Cuidado: você pode estar contaminado pelo vírus social-democrata, cujos principais sintomas são usar métodos de direita para obter conquistas de esquerda e, em caso de conflito, desagradar aos pequenos para não ficar mal com os grandes.

2. A cabeça pensa onde os pés pisam.

Não dá para ser de esquerda sem "sujar" os sapatos lá onde o povo vive, luta, sofre, alegra-se e celebra suas crenças e vitórias. Teoria sem prática é fazer o jogo da direita.

3. Não se envergonhe de acreditar no socialismo.

O escândalo da Inquisição não faz os cristãos abandonarem os valores e as propostas do Evangelho. Do mesmo modo, o fracasso do socialismo no Leste europeu não deve induzi-lo a descartar o socialismo do horizonte da história humana.

O capitalismo, vigente há 200 anos, fracassou para a maioria da população mundial. Hoje, somos 6 bilhões de habitantes. Segundo o Banco Mundial, 2,8 bilhões sobrevivem com menos de US$ 2 por dia. E 1,2 bilhão, com menos de US$ 1 por dia. A globalização da miséria só não é maior graças ao socialismo chinês que, malgrado seus erros, assegura alimentação, saúde e educação a 1,2 bilhão de pessoas.

4. Seja crítico sem perder a autocrítica.

Muitos militantes de esquerda mudam de lado quando começam a catar piolho em cabeça de alfinete. Preteridos do poder, tornam-se amargos e acusam os seus companheiros(as) de erros e vacilações. Como diz Jesus, vêem o cisco do olho do outro, mas não o camelo no próprio olho. Nem se engajam para melhorar as coisas. Ficam como meros espectadores e juízes e, aos poucos, são cooptados pelo sistema.

Autocrítica não é só admitir os próprios erros. É admitir ser criticado pelos(as) companheiros(as).

5. Saiba a diferença entre militante e "militonto".

"Militonto" é aquele que se gaba de estar em tudo, participar de todos os eventos e movimentos, atuar em todas as frentes. Sua linguagem é repleta de chavões e os efeitos de sua ação são superficiais.

O militante aprofunda seus vínculos com o povo, estuda, reflete, medita; qualifica-se numa determinada forma e área de atuação ou atividade, valoriza os vínculos orgânicos e os projetos comunitários.

6. Seja rigoroso na ética da militância.

A esquerda age por princípios. A direita, por interesses. Um militante de esquerda pode perder tudo - a liberdade, o emprego, a vida. Menos a moral. Ao desmoralizar-se, desmoraliza a causa que defende e encarna. Presta um inestimável serviço à direita.

Há pelegos disfarçados de militante de esquerda. É o sujeito que se engaja visando, em primeiro lugar, sua ascensão ao poder. Em nome de uma causa coletiva, busca primeiro seu interesse pessoal.

O verdadeiro militante - como Jesus, Gandhi, Che Guevara - é um servidor, disposto a dar a própria vida para que outros tenham vida. Não se sente humilhado por não estar no poder, ou orgulhoso ao estar. Ele não se confunde com a função que ocupa.

7. Alimente-se na tradição da esquerda.

É preciso oração para cultivar a fé, carinho para nutrir o amor do casal, "voltar às fontes" para manter acesa a mística da militância. Conheça a história da esquerda, leia (auto)biografias, como o "Diário do Che na Bolívia", e romances como "A Mãe", de Gorki, ou "As Vinhas de Ira", de Steinbeck.

8. Prefira o risco de errar com os pobres a ter a pretensão de acertar sem eles.

Conviver com os pobres não é fácil. Primeiro, há a tendência de idealizá-los. Depois, descobre-se que entre eles há os mesmos vícios encontrados nas demais classes sociais. Eles não são melhores nem piores que os demais seres humanos. A diferença é que são pobres, ou seja, pessoas privadas injusta e involuntariamente dos bens essenciais à vida digna. Por isso, estamos ao lado deles. Por uma questão de justiça.

Um militante de esquerda jamais negocia os direitos dos pobres e sabe aprender com eles.

9. Defenda sempre o oprimido, ainda que aparentemente ele não tenha razão.

São tantos os sofrimentos dos pobres do mundo que não se pode esperar deles atitudes que nem sempre aparecem na vida daqueles que tiveram uma educação refinada.

Em todos os setores da sociedade há corruptos e bandidos. A diferença é que, na elite, a corrupção se faz com a proteção da lei e os bandidos são defendidos por mecanismos econômicos sofisticados, que permitem que um especulador leve uma nação inteira à penúria.

A vida é o dom maior de Deus. A existência da pobreza clama aos céus. Não espere jamais ser compreendido por quem favorece a opressão dos pobres.

10. Faça da oração um antídoto contra a alienação.

Orar é deixar-se questionar pelo Espírito de Deus. Muitas vezes deixamos de rezar para não ouvir o apelo divino que exige a nossa conversão, isto é, a mudança de rumo na vida. Falamos como militantes e vivemos como burgueses, acomodados ou na cômoda posição de juízes de quem luta.

Orar é permitir que Deus subverta a nossa existência, ensinando-nos a amar assim como Jesus amava, libertadoramente.

29 de mar de 2011

Juventude Kizomba



Adorei o Blog da "Kizomba"... estão de parabéns. A internet é um instrumento fundamental para os movimentos sociais hoje... sobretudo para uma juventude que atua na UNE e na UBES. Imaginem como essas informações seriam compartilhadas 20 anos atrás... viva a internet! Segue o link: http://www.kizomba.org.br/