23 de nov de 2008

Pena

É uma pena que todos(as) tenhamos que vender nossa força de trabalho...
Intelectual, artística, física... habilidades e inspirações "metamorfoseadas" em cifrão...
Pq mensurar? Pq competir? Só nos transfigura...

Pena - O Teatro Mágico (Fernando Anitelli e Maíra Viana)

O poeta pena quando cai o pano
E o pano cai
Um sorriso por ingresso
Falta assunto, falta acesso
Talento traduzido em cédula
E a cédula tronco é a cédula mãe solteira

O poeta pena quando cai o pano
E o pano cai
Acordes em oferta, cordel em promoção
A Prosa presa em papel de bala
Música rara em liquidação

E quando o nó cegar
Deixa desatar em nós
Solta a prosa presa
A Luz acesa
Lá se dorme um Sol em mim menor

Eu sinto que sei que sou um tanto bem maior (4x)

Nenhum comentário: