15 de dez de 2008

Era o mínimo que poderíamos fazer por vc...

"É o beijo de despedida, seu cachorro", gritou o jovem jornalista iraquiano...

Bem...

Por princípio, sou contra atitudes isoladas como jogar tortas, tirar a roupa sozinho e etc... Sou contra o terrorista que se coloca como herói à frente de seu povo... E contra os Power Rangers pelo mesmo motivo... Afinal, decisivas são as mudanças que nascem do "movimento de massas" (velho, porém bom, jargão da esquerda), ou seja, das lutas coletivas... Já dizia o velho Gramsci que "mais vale a população entender pequenas coisas, que um punhado de iluminados descobrirem as maiores questões".... e dessa forma entendo que mais vale um milhão na rua que dez armados com metralhadoras, tortas e etc...

Mas...

Naquele momento, que mais poderia fazer?
Depois de tanta repressão, tanto sofrimento... Deixar "passar batida a visita surpresa do agressor"?
Para mim, está mais do que justificado o ataque...
As mãos de
Muntazar al-Zaidi agiram por todos aqueles que não tiveram a oportunidade de estar naquela sala.



Nenhum comentário: